Desperdicei meu tempo com ele?

Eu sei que nunca mais postei nada, desculpa.
Vamos a mais um conselho?  =)
Bom, eu gosto de um menino a 1 ano e 6 meses e nesse tempo, nós só ficamos duas vezes. Eu sofri/sofro muito por ele, só que é inevitável não vê-lo, pois ele é vizinho de uma prima minha. Que aliás, eu o conheci por meio dessa prima. 
Sempre que vou a casa dela, ele está lá. Por infelicidade do destino, ás vezes eu o encontro no ônibus voltando da escola eu tento ignorá-lo mas sempre o único lugar vago no ônibus é ao lado dele. E então, eu me recuso por mil vezes a sentar naquele lugar mas o cansaço me consome. Ele puxa assunto comigo, eu respondo mas o silêncio domina.
Não consigo ter uma conversa normal com ele, depois do que ele fez comigo… Ele me iludiu, falou coisas lindas mas no final disse que não poderia ser um bom namorado pra mim.
Eu nunca havia tocado no assunto namoro pra ele, apenas estava expressando o que sentia por ele. Algumas pessoas dizem que ele faz isso porque não quer me magoar, ou tem medo de me magoar e o pessoal da minha família rejeitá-lo por causa disso.
Eu não intendo, pois ele iria ter algo comigo e não com a minha família. Será que foi 1 ano e 6 meses jogado fora? Desperdicei meu tempo com ele? Eu quero voltar a correr atrás, mas eu já corri muito atrás. Não sei o que fazer, porque eu perco muitas noites de sono por causa dele.. O que eu faço?
 
B.F. 14 anos, São Paulo – SP
Oi “Bê”, é hora de você desencanar dele. Ok, vai ser mais difícil porque vocês se encontram frenquentemente no ônibus, sou da opinião que você deve ser educada e cumprimentá-lo, só sentar ao lado dele como última opção. Deixa ele puxar assunto, você sendo seca, talvez até mesmo um pouco grossa, ele desiste de conversar. Vai passar uma semana assim, duas, e ele vai desistir.
Você diz que ele te iludiu e falou coisas lindas, 14 anos é pouca idade e logo você vai perceber que garotos falarão isso como se não fosse nada, tudo apenas para ficar contigo. Acho que na cabeça dele namoro é algo que ele com certeza não quer, e talvez foi o que ficou subentendido quando você expressou o que sentia por ele. É, isso assustou ele.
Ele não seria um bom namorado pra você mesmo, e isso não tem nada a ver com família não, como você mesmo disse, seria algo pra se resolver entre vocês dois. Ele nem seu namorado quer ser, quem dirá um bom namorado.
Você não desperdiçou tempo com ele, vale como experiência, agora você sabe que quase nunca palavras linda são sinceras. Vai correr atrás de alguém que claramente não quer nada? Nada te impede, mas aí sim será perda de tempo e causa de ainda mais dor e noites sem dormir; falo por experiência própria.
Não perca mais suas noites de sono! Te garanto quem com um tempo as coisas vão se aquietar e logo cada um estará no seu lugar, você aqui no seu canto e ele por aí… Sem você se importar. =)
Quer dizer algo pra B.F.? Deixe nos comentários. Quer algum conselho? Envie sua história detalhada para lucasdeoliveira.92@hotmail.com
Bjos meninas e até a próxima.
Anúncios

Existe o cara certo?

Outro dia apareceu no meu feed do Facebook um link sobre vários blogs de garotas que estão escrevendo textos sobre determinado tema, e vi o link num tema que me fez pensar: existe o cara certo?

p_s_i_love_you_1

Respondendo a pergunta: sim, ele existe. Porém há outras perguntas que não são tão simples: por onde ele anda? Como vou saber se ele é o cara?

O cara certo é um alguém muito particular pra você, único, aquela velha história de que cada panela tem sua tampa. Esse cara não vai ser perfeito, já que ninguém é perfeito, mas você vai suportar os defeitos dele assim como ele vai conviver com os seus.

Esse cara pode não ser tão bem educado e nem tão bonito quanto o canto daquela boy-band que você era fã, mas parecerá um príncipe  e muito mais bonito do que é. Será alguém que antes de tudo irá respeitar suas vontades e decisões, estará ao seu lado quando precisar; tudo isso necessita de tempo, portanto não se sabe se ele é cara certo de um dia pro outro.

Pra isso acho importante o casal ter gostos parecidos, uma sintonia como aqueles casais que conversam só de olhar.

Esse cara anda por aí e se encontra quando menos se espera, mas é preciso dar uma chance, senão o cara passa despercebido… E só saberá que ele é o cara depois de um tempo de namoro, e não há problema se não for.

 

Eu mesmo como exemplo, um dia achei que era o cara certo de uma garota, mas o tempo foi passando e ela percebeu que, infelizmente, não era. Hoje percebo que ela tinha razão e talvez tudo tenho sido melhor assim. Eu sei que esse cara sou eu, só que para outra garota.

Esse post participa da blogagem coletiva que o blog Nós na Gravata está promovendo.

Fotos

O que fazer quando um namoro acaba ficam aquelas centenas de fotos?

Fotos que incomodam, machucam, te lembram um passado (ás vezes recente) e te joga na cara que esta não é mais a realidade… e você daria de tudo pra voltar no exato momento daquela foto.

Quando ela se foi decidi excluir as fotos com ela, comecei no Facebook e depois as do pc, por último apaguei as do celular. Não tenho mural de fotos e percebi que meu “rasgar as fotos” foi deletar todas elas, todas.

Foi difícil ver as fotos depois do fim porque ninguém tira foto num momento triste, e todas as fotos abraçando, sorrindo, datas especias, na hora daquele clic parecia que aquela felicidade seria eterna. Por que não pode ser assim?

Não apaguei as fotos de primeira, apenas juntei todas numa pasta e pensei que se apagasse não teria com recuperar. Uma amiga me aconselhou a guarda-lás pois no futuro não sentiria mais nada por ela e as fotos ficariam como boas lembranças, não achei uma boa ideia.

As fotos eram lindas, mas todo sofrimento que passei me fez nunca mais querer vê-la de novo, nem por foto. Isso não é birra e nem infantilidade, só acho que é melhor assim; explico em outro post.

Logo após o término continuamos amigos no Face, e continuar amigo era a pior coisa que podia fazer comigo mesmo. Dá pra se imaginar chorando por alguém que te largou e quando você resolver entrar domingo no pc vê fotos dessa pessoa mais feliz do que nunca na balada?

Pior que as fotos que eu tinha salvo, essas novas não tinha como suportar.  =(

Já viram “batalha” de fotos entre ex-namorados no face? Quando ambos ficam colocando fotos de rolês pra mostrarem que não estão tristes, que tão melhor do que nunca. Foi o que meus amigos aconselharam, mas não ia ficar com esse briguinha ridícula.

Pra provar que toda situação que vivi teve uma música que coube perfeitamente vejam a letra dessa do Victor e Leo:

Joguei fora fotos de nós dois
Reviver você não me faz bem
Nem vai me trazer o que já foi
Você mudou muito e eu também

Já rasguei as fotos mas em pensamento
Guardo cópias do seu beijo e solidão

Beijos meninas.

Vocês são minha inspiração

Olá meninas!

Posso escrever meninas já que tenho certeza que 100% dos acessos que o blog teve foram meninas, e principalmente participantes do grupo “Depois dos Quinze“.

Antes de mais nada gostaria de agradecer os acessos e todos os comentários que li, no grupo e aqui no blog. Foram palavras de elogio e incentivo, fico feliz que a emoção e os sentimentos tenham sido passados no texto, deu pra sentir a dor mas ainda sim com uma leveza. Sem se tornar um texto triste.

Quando criei um post no grupo dizendo que criaria esse blog (lembram?) a ideia foi bem aceita, queria escrever para desabafar e percebi que havia quem gostasse de ler sobre sentimentos. Estou inspirado para escrever bastantes textos.

Mas esse blog teve um início agora em janeiro e provavelmente já tem um fim, permitam-me explicar; toda as situações que escreverei aconteceram em 2012, e resolvi deixar todo sofrimento e dor para trás junto com esse ano. Doze meses podem parecer pouco para amadurecer, mas tudo o que aconteceu ano passado me fez crescer de um modo que, por mais que tenha sido difícil, foi bom de ter acontecido. Deixei de ser um menino para me tornar um homem.

Poderia lamentar e ficar dizendo que 2012 foi o pior ano da minha vida, por vezes até fiz isso, mas é na tribulação que você evolui, como aquele ditado: “O mar calmo nunca fez um bom marinheiro”.

Portanto, o “Meninos não choram” será como um diário desde o momento que ela me deixou até o presente momento, em que finalmente digo sem dúvida nenhuma em meu coração e nenhum um pingo que mentira que estou bem. Finalmente =)

 

O próximo post já está pronto, e se vocês quiserem logo logo eu posto.

Bjos à todas

Meninos não choram.

Um dia conheci a garota dos meus sonhos, me apaixonei e o mundo a minha volta ficou completamente diferente, tudo era mais bonito e eu adorava a sensação.

No começo tudo era novidade, ainda mais sendo a minha primeira namorada, e depois de um tempo queria que ela fosse a minha primeira e única namorada.

Minha vida virou outra, deixei de andar um pouco com seus amigos, eles sentiram falta mas nem me importei; deixei de pensar no que faria no final de semana para pensar no que faríamos.

Passamos horas conversando, rindo, fazendo planos. Não se tem muitas certezas na vida, mas a única que tinha era que queria essa garota incrível do meu lado para o resto da vida, e como era jovem, era animador que meu “resto” de vida seja bem grande.

Há quanto tempo e quantos escritores já escreveram sobre amor? Muitos, mas nenhum deles conseguiu encontrar as palavras certas, porque quando você perceber que ama ela não haverá palavras em língua nenhuma para que você possa se expressar, você apenas sentirá e saberá se ela sente o mesmo.

275988_Papel-de-Parede-Crepusculo-Edward-e-Bella_1600x900

Nenhum homem entendeu ou entenderá as mulheres um dia. Elas são imprevisíveis, incompreensíveis e chegam num ponto que são até cruéis.

Um dia eu amei essa garota. Ela foi meu mundo. Não imaginava mais seu futuro sem ela.

Mas para ela nada disso importou.

Ela se cansou disso “tudo”, achou que não dava mais, nem deu uma justificativa, um motivo ou alguma razão.

Se foi sem arrependimento e sem olhar pra trás, deixando meu coração em pedaços.

Foi nessa hora que precisei ser forte, que minha vida tomou um rumo diferente e que eu sabia que tempos (muito) difíceis estavam por vir. É nessa hora que começa esse blog.

Meninos não choram, será mesmo?