Existe o cara certo?

Outro dia apareceu no meu feed do Facebook um link sobre vários blogs de garotas que estão escrevendo textos sobre determinado tema, e vi o link num tema que me fez pensar: existe o cara certo?

p_s_i_love_you_1

Respondendo a pergunta: sim, ele existe. Porém há outras perguntas que não são tão simples: por onde ele anda? Como vou saber se ele é o cara?

O cara certo é um alguém muito particular pra você, único, aquela velha história de que cada panela tem sua tampa. Esse cara não vai ser perfeito, já que ninguém é perfeito, mas você vai suportar os defeitos dele assim como ele vai conviver com os seus.

Esse cara pode não ser tão bem educado e nem tão bonito quanto o canto daquela boy-band que você era fã, mas parecerá um príncipe  e muito mais bonito do que é. Será alguém que antes de tudo irá respeitar suas vontades e decisões, estará ao seu lado quando precisar; tudo isso necessita de tempo, portanto não se sabe se ele é cara certo de um dia pro outro.

Pra isso acho importante o casal ter gostos parecidos, uma sintonia como aqueles casais que conversam só de olhar.

Esse cara anda por aí e se encontra quando menos se espera, mas é preciso dar uma chance, senão o cara passa despercebido… E só saberá que ele é o cara depois de um tempo de namoro, e não há problema se não for.

 

Eu mesmo como exemplo, um dia achei que era o cara certo de uma garota, mas o tempo foi passando e ela percebeu que, infelizmente, não era. Hoje percebo que ela tinha razão e talvez tudo tenho sido melhor assim. Eu sei que esse cara sou eu, só que para outra garota.

Esse post participa da blogagem coletiva que o blog Nós na Gravata está promovendo.

1997

Olá meninas =)

Já ouviram 1997 do Hateen? É uma música de 2006, e mais uma daquelas que basicamente me identifico com cada verso, os próximos posts do blog serão sempre com músicas e minha visão sobre elas.

Antes de tudo deem o play no clipe e acompanhem a letra:

Mil novecentos e noventa e sete, novembro ainda me lembro
Era fim de ano, eu não tinha nada e você um novo emprego
Foi quando tudo aconteceu
A vida era difícil, mas juntos tudo estava bem
Algumas brigas, claro, mas isso é tão normal quando se quer alguém
Como eu quis você
Eu quis matar todos seus amigos, falsos e fingidos, que sorriam ao me ver
E encontrava companhia, num copo de bebida, um cigarro ou outra droga qualquer
Já que eu não tinha mais você
Reaprender o caminho pra casa não foi algo tão simples
Nos primeiros dias eu me perdia nos meus passos sem você
Eu mal sabia o que fazer
De vez em quando a gente se encontrava nas escadas
Eu tentava dizer algo e você sempre dava risada
Tudo vai acabar bem
Quase 10 anos depois, eu consigo entender
Que eu tinha que continuar, fosse com ou sem você
Nem sei como cheguei aqui, mas saiba que estou feliz
A sua falta quase me matou, hoje eu tenho tudo o que eu sempre quis
Mil novecentos e noventa e sete, ainda me lembro de tudo o que eu quero esquecer.

 

 

 

1997 foi um ano que marcou pro compositor desse som, o meu “1997” aconteceu quinze anos mais tarde, tudo isso aconteceu em 2012.

Dá pra perceber que a música se passa muitos anos depois, comparado à ela minha história é muito recente ainda, mas há trechos que já vivi, por exemplo:

 

  • “Mil novecentos e noventa e sete, novembro ainda me lembro”

Eu já desisti da ideia que um dia vou esquecer minha ex, por mais que tenha apagado todas as fotos que tinha (lembram?) é impossível remover algo da cabeça, sei que o tempo vai passar e cada vez será uma lembrança ainda mais distante, mas ainda vou me lembrar.

Por isso quando percebi que nunca vou esquecê-la comecei a aprender a viver com isso, o jeito tá sendo relembrar, mudar logo o pensamento e seguir em frente.

 

  • Reaprender o caminho pra casa não foi algo tão simples. Nos primeiros dias eu me perdia nos meus passos sem você. Eu mal sabia o que fazer.

Deus sabe o quanto me senti perdido sem ela, não foi nada simples e me perdi muitas vezes em meus passos, fazendo coisas que nem me reconhecia mais. Eu realmente não sabia o que fazer.

Contei muito com minha família, que aos poucos e com paciência me pôs de volta ao meu rumo.

 

  • Quase 10 anos depois, eu consigo entender. Que eu tinha que continuar, fosse com ou sem você.

Não levei todo esse tempo, mas foi ouvindo esse verso que percebi que tinha continuar, com ela voltando pra mim ou não.

Hoje, sem ela, eu entendi e continuo.

 

  • A sua falta quase me matou, hoje eu tenho tudo o que eu sempre quis.

Não, não é exagero dizer que a falta dela quase me matou. Posso parece dramático, que to usando figura de linguagem, mas como já disse, só Deus sabe o que senti.

Esse verso imagino que seja meu futuro, pois um dia terei tudo o que sempre quis. Mas o que quero?

Espero que daqui a dez anos já esteja com a mulher da minha vida, casado e com uma família linda. Um dia pensei que ela seria essa mulher, mas não foi. Então confio que depois de tudo que passei, terei um dia tudo o que eu sempre quis.

 

 

 

Gostaram da música? Espero que sim =)

Beijos.