Primeiro sinta, depois diga.

“Eu te amo”, uma frase tão pequena e com um sentido tão profundo. Tão bonito.

Não é simples “amar” alguém, não se simplesmente “ama” qualquer um, e o modo como essa declaração é feita hoje tá banalizado =(.

Vejo no facebook quase que diariamente casais apaixonados que se amam tanto, fazem juras de amor eterno e toda aquela coisa; daí passam alguns meses e eles terminam. Foi tanto “amor” que não durou nem um ano, mas na verdade ali não existia amor, só esse “eu te amo” falso.

Pior que isso, só quando apenas um do casal amou.

Demorei muito pra dizer que amava ela, demorei em relação a esses casais que citei, sempre achei que um “Eu te amo” é algo sério, que se deve primeiro sentir pra depois dizer. Ainda me lembro de detalhes dessa noite, na sacada olhando o luar… Ainda bem que isso não me incomoda mais.

Lembro também do clipe: My Chemical Romance – I don’t love, a letra fala sobre uma garota que foi embora. Nenhuma novidade por aqui =(

Todo em preto-e-branco, gosto muito do vídeo e ainda mais da música, dá pra ver o Gerard passando sua emoção, assim como tento através dos meus textos.

When you go qould you even turn to say: “I don’t love you, like I did yesterday”

Quando você se for, terá coragem de de virar e dizer: “Eu não te amo, como amei ontem”.

Vocês acham que ela teve coragem? Eu quero acreditar que ela nunca me amou, que quem ama insisti e nunca irá te abandonar; mas é difícil pensar assim depois de tudo o que passamos junto.

Logo após o término tinha algo que me incomodava e me deixava triste: eu não lembrava da última vez que havia dito que a amava. Talvez fosse melhor assim.

The Cure

Por que “Meninos não Choram”?

Se a pergunta fosse: “Por que meninos não choram?” eu diria que a afirmação é falsa.

Meninos choram sim, e muito, quando é preciso. É impossível não chorar quando se perde algo que não dá pra substituir, e a essa altura acho que todo mundo já percebeu que o algo está mais para alguém.

E só quando param de chorar que esses meninos se tornam homens.  =)

Agora, por que o blog se chama “Meninos não Choram”?

Quando se termina um relacionamento, uma das piores coisas que existem são as músicas; já ouviram que quando você está feliz você curte o som, mas quando está triste entende a letra ? Não é muito legal de se viver isso na prática.

Até parei de ouvir rádio por um tempo, parece que TODAS as músicas falam de amor, se bem que a maioria fala mesmo. Outro dia estava discutindo isso com uma amiga e ela me disse um frase que nunca vou esquecer: “É o amor que move o mundo”, há muitas músicas sobre relacionamentos porque muita gente se identifica.

E quando falo que essas músicas incomodam, não falo dos sertanejos que tão na moda ou sons gringos quando se lê a tradução, falo de TODO tipo de música!

Vocês verão muitas letras por aqui, há músicas que ouvia e eram perfeitamente a situação que vivia, estilos que vão desde sertanejo antigo até rap. Cantores como James Blunt e Raça Negra passaram a ter muito sentido.

E dentre as centenas de sons escolhi uma do The Cure, a banda não faz o estilo romântico e o vocalista esquisitão parece o Edward Mãos-de-Tesoura, mas “Boys Don’t Cry” é uma dessas em que tudo se encaixou perfeitamente!

Abaixo tem uma versão live traduzida, vale o play: 😉

Now I would do most anything

To get you back by my side

But I just

Keep on laughing

Hiding the tears in my eyes

‘cause boys don’t cry

Boys don’t cry

Boys don’t cry

 

Sou novo pra dar conselhos, mas se tem uma coisa que eu queria que vocês tomassem cuidado é com esses “eu te amo” falso meninas. Homem não presta, às vezes me sinto muito diferente dos demais nesse aspecto; tem muitos caras por aí que namoram meses com um garota, ela tá apaixonada por ela, mas ele só quer um coisa. E com a namoradinha toda boba ele consegue.

Então é isso gente, sei esse post ficou longo mas era tudo o que tinha pra dizer. Se você está lendo até aqui  =) deixe sua opinião nos comentários.

Bjos à todas

Vocês são minha inspiração

Olá meninas!

Posso escrever meninas já que tenho certeza que 100% dos acessos que o blog teve foram meninas, e principalmente participantes do grupo “Depois dos Quinze“.

Antes de mais nada gostaria de agradecer os acessos e todos os comentários que li, no grupo e aqui no blog. Foram palavras de elogio e incentivo, fico feliz que a emoção e os sentimentos tenham sido passados no texto, deu pra sentir a dor mas ainda sim com uma leveza. Sem se tornar um texto triste.

Quando criei um post no grupo dizendo que criaria esse blog (lembram?) a ideia foi bem aceita, queria escrever para desabafar e percebi que havia quem gostasse de ler sobre sentimentos. Estou inspirado para escrever bastantes textos.

Mas esse blog teve um início agora em janeiro e provavelmente já tem um fim, permitam-me explicar; toda as situações que escreverei aconteceram em 2012, e resolvi deixar todo sofrimento e dor para trás junto com esse ano. Doze meses podem parecer pouco para amadurecer, mas tudo o que aconteceu ano passado me fez crescer de um modo que, por mais que tenha sido difícil, foi bom de ter acontecido. Deixei de ser um menino para me tornar um homem.

Poderia lamentar e ficar dizendo que 2012 foi o pior ano da minha vida, por vezes até fiz isso, mas é na tribulação que você evolui, como aquele ditado: “O mar calmo nunca fez um bom marinheiro”.

Portanto, o “Meninos não choram” será como um diário desde o momento que ela me deixou até o presente momento, em que finalmente digo sem dúvida nenhuma em meu coração e nenhum um pingo que mentira que estou bem. Finalmente =)

 

O próximo post já está pronto, e se vocês quiserem logo logo eu posto.

Bjos à todas

Meninos não choram.

Um dia conheci a garota dos meus sonhos, me apaixonei e o mundo a minha volta ficou completamente diferente, tudo era mais bonito e eu adorava a sensação.

No começo tudo era novidade, ainda mais sendo a minha primeira namorada, e depois de um tempo queria que ela fosse a minha primeira e única namorada.

Minha vida virou outra, deixei de andar um pouco com seus amigos, eles sentiram falta mas nem me importei; deixei de pensar no que faria no final de semana para pensar no que faríamos.

Passamos horas conversando, rindo, fazendo planos. Não se tem muitas certezas na vida, mas a única que tinha era que queria essa garota incrível do meu lado para o resto da vida, e como era jovem, era animador que meu “resto” de vida seja bem grande.

Há quanto tempo e quantos escritores já escreveram sobre amor? Muitos, mas nenhum deles conseguiu encontrar as palavras certas, porque quando você perceber que ama ela não haverá palavras em língua nenhuma para que você possa se expressar, você apenas sentirá e saberá se ela sente o mesmo.

275988_Papel-de-Parede-Crepusculo-Edward-e-Bella_1600x900

Nenhum homem entendeu ou entenderá as mulheres um dia. Elas são imprevisíveis, incompreensíveis e chegam num ponto que são até cruéis.

Um dia eu amei essa garota. Ela foi meu mundo. Não imaginava mais seu futuro sem ela.

Mas para ela nada disso importou.

Ela se cansou disso “tudo”, achou que não dava mais, nem deu uma justificativa, um motivo ou alguma razão.

Se foi sem arrependimento e sem olhar pra trás, deixando meu coração em pedaços.

Foi nessa hora que precisei ser forte, que minha vida tomou um rumo diferente e que eu sabia que tempos (muito) difíceis estavam por vir. É nessa hora que começa esse blog.

Meninos não choram, será mesmo?